No Maracanã, com Paulo Cézar Caju

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Sentei ao lado de Paulo Cézar Caju no Maracanã, no jogo desse domingo do Fluminense contra o Palmeiras. Pedi desculpas pela máscara e pela falta de aperto de mão; ainda estou paranoico com a covid. Demonstrei logo que era fã dele, por ele ter jogado na Seleção de 70. A melhor de todos os tempos. Ele disse que tínhamos que considerar a de 58, com Nilton Santos, Pelé e Garrincha. Que a melhor de todos os tempos seria a de 58 no primeiro tempo e a de 70 no segundo.

Ronaldo, Maradona, Coutinho e o craque votorantinense Ize. No campo e na mesa, os boleiros bons de garfo do passado que também comiam a bola

MARCO MERGUIZZO / FREDERICO MORIARTY (Blogs Aquele Sabor Que Me Emociona e Pipocando La Pelota) - Embora este domingo (8/3), dia das mulheres - que, por sinal, hoje jogam futebol e batem um bolão -, seja todo delas, também é dia do mais popular e apaixonante dos esportes coletivos, o qual todo marmanjo adora assistir nas tardes de domingo para torcer por seus ídolos e time do coração. Tema deste post que convocou o ‘pofexô’ Frederico Moriarty, titular do blog Pipocando La Pelota, para compor esta mesa redonda a dois e relembrar e saudar os jogadores roliços do passado que faziam bonito em campo, mesmo carregando alguns quilos extras na cintura. Para ler e rolar a bola agora, clique na imagem e pimba na gorduchinha!

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: