Pouca água no curso do rio já revela as consequências das reduções de vazão ocorridas em Itupararanga

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba Conta Histórias) - Sem precisar andar muito, quem percorre apenas um pequeno trecho do passeio às margens do Sorocaba já pode perceber um fino curso d’água seguindo lentamente. Neste período de seca, já considerada a maior da história, as sete reduções de vazão que ocorreram nos últimos meses na represa de Itupararanga demonstram claramente que o reservatório (sinalizando um índice de menos de 817,45 metros sobre o nível do mar) já atingiu o seu volume morto. Abaixo deste índice a água é considerada imprópria para o consumo.

Aos olhos perplexos do mundo um Verde Brasil vai se tornando cinza

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba conta Histórias) - No Brasil, diferente do lendário bem-te-vi que vendo o incêndio na floresta tentou, confiante, apagar o fogo levando água no bico, o cidadão comum se sente um tanto impotente diante das tomadas de decisões do governo federal, que, conivente com os incêndios, investe nas ações comprometidas com os setores mais atrasados do agronegócio.

Instabilidade ambiental põe em risco gerações futuras

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba Conta Histórias) - As queimadas na Amazônia trouxeram à tona antigas discussões sobre o meio ambiente. Em 2003, quando nossa equipe de vídeo trabalhava na produção do documentário “Sorocaba, o rio de nossas vidas” (Loja de Ideias, 2005, 34 minutos), Paulo Celso da Silva, professor de Geografia Humana e historiador, já explicava em entrevista que o critério ambiental dos dias atuais deve ser diferente do momento em que valorizar a industrialização e a urbanização eram mais importantes do que conservar a natureza.

A Tempestade e o Ímpeto da modernidade: um Brasil em chamas

LUIZ PIEROTTI - Há quase 5 séculos, na Alemanha, se criava a expressão Sturm und Drang (Tempestade e Ímpeto), termo utilizado para se referir ao movimento romântico que despontava na região. Guiado por grandes nomes como Friedrich Schiller e Johann Wolfgang von Goethe, o movimento negava todo o racionalismo presente no iluminismo que reinava até... Continuar Lendo →

No céu do Brasil, a enorme nuvem de fumaça proveniente da Floresta Amazônica retrata o fogo, a dor e a insensatez

SANDRA NASCIMENTO (Rio Sorocaba Conta Histórias) - Como milhares de brasileiros puderam testemunhar com seus próprios olhos, na segunda-feira, 19 de agosto, uma cortina de fumaça cobriu várias cidades do Estado de São Paulo, incluindo a capital, assim como áreas dos estados do Mato Grosso e Paraná. A enorme nuvem pôde ser vista do espaço e foi registrada pela Nasa por imagens de satélite. Por trás da extensa mancha, constatava-se a dramática realidade de se ter grande parte de uma floresta em chamas. Nada mais, nada menos do que significativos trechos da Floresta Amazônica.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: